A origem da conexão Cone Morse não começou pela odontologia. Stephen A Morse, em 1864, percebeu que precisava de uma nova maneira para fixar e guiar as brocas helicoidais e assim, criou sua série de hastes cônicas. O sistema é utilizado até hoje.

Alguma vez você já encaixou dois copos de vidro iguais, um dentro do outro e depois teve dificuldade em separá-los?

Isso chama-se Efeito Cone Morse.
O Sistema Cone Morse (na Implantodontia) tem como principais características a eliminação da contaminação bacteriana entre o Implante e o Componente do “novo dente”; sinais que podem ocorrer em implantes convencionais.
Com esse vedamento contra as bactérias, o tecido ósseo e gengival ao redor do Implante permanece mais saudável, com isso, há uma manutenção desses tecidos ao longo dos anos, semelhante aos tecidos ao redor dos dentes naturais.
O tratamento implanto-protético desse sistema é indicado para reposição de perdas dentais em qualquer local, mas principalmente em áreas estéticas onde a longevidade da beleza do sorriso é importante.
About these ads